Romanos 8:18

“Considero que os nossos sofrimentos atuais não podem ser comparados com a glória que em nós será revelada.”

Quero considerar, Senhor, que as dores e tristezas desta vida atual são simplesmente sementes plantadas, esperando brotar em glória na hora que o Senhor nos libertará da luta desta vida….coisinhas pequenininhas comparadas com a imensidade e eternidade da glória que em nós será revelada.

Tenho duas perguntas, Pai. Porque me escolheu para manifestar a Tua glória? A minha capacidade de refletir Tua glória é tão finita, tão fraca, tão inconstante. E, como o Senhor já me escolheu para este privilégio incompreensível, porque então é necessário passar primeiro por este vale de sombras? Por este deserto, onde o barro deste vaso, em que já habita a Tua glória, abafa a luz e não deixa passar a intensidade do brilho da Tua presença?

Quero hoje, Pai, que a alegria que sinto da certeza que o Senhor é dono do futuro passe pelas janelas dos meus olhos. Quero que todos que hoje compartilham do meu mundo saibam que eu sirvo ao Senhor da vitória, o Ressurreto que já venceu a morte e o pecado. Brilha em mim, Jesus; brilha atravez da minha vida.

Romanos 8:19

“A natureza criada aguarda, com grande expectativa, que os filhos de Deus sejam revelados.”

Pai, cada dia que passa me deixa mais anxioso para deixar esta peregrinação. A expectativa de ver Jesus e ser transformado, de finalmente conhecer em mim a plenitude da semelhança dEle, me dá coragem de continuar enfrentando as dificuldades deste mundo tão sufocado pela presença do pecado.

Mas eu vejo que não é somente eu…a criação toda sente que está só aguardando o dia em que a natureza voltará ao estado original, à perfeição em que foi criada. O propósito do Senhor de Se revelar atravez da criação não será frustrado para sempre. A glória eterna pertence ao Senhor, o inimigo já foi derrotado pelo sangue de Jesus, e estamos esperando confiantes nas Tuas promessas.

Fico angustiado, Pai, quando Tua glória continua obscurecida pelos vasos de barro em que habita momentaneamente. Tento imaginar como será naquele dia da nossa revelação como filhos perfeitos, quando conheceremos como somos conhecidos. Ainda reconhecíveis como seres terrenos, porém numa terra da nova criação, seremos também seres celestiais. E a promessa é tão certa que JÁ ESTAMOS SENTADOS NAS REGIÕES CELESTIAIS EM CRISTO! Obrigado, Pai.