Romanos 8:9

“Entretanto, vocês não estão sob o domínio da carne, mas do Espírito, se de fato o Espírito de Deus habita em vocês. E se alguem não tem o Espírito de Cristo, não pertençe a Cristo.”

Senhor, ao mesmo tempo que é simples demais viver dominado pelo Espírito, também é difícil manter este princípio como um constante na minha vida. Eu sei que é uma questão de foco. É uma questão de dependência. É uma questão de submissão e entrega. Tudo bem. Mas o perigo é eu sentir: “Cheguei! Agora estou vivendo a vida que agrada o Senhor!” E naquele momento, se eu focalizar no MEU SUCESSO em chegar naquela altura, o foco já mudou do Senhor para mim. E o perigo é voltar depender dos meus próprios esforços.
Então, ao mesmo tempo que tenho confiança no poder do Senhor para me guiar no caminho certo, tenho também de manter uma desconfiança na minha própria sabedoria. Ao mesmo tempo que eu me lembro da fidelidade do Senhor no passado, tenho que me lembrar também dos fracassos passados nos momentos em que eu vivia agradando a minha carne.
Te agradeço, Senhor, que até nos piores momentos a presença do Teu Espírito na minha vida me dá certeza que eu pertenço a Ti. Te louvo porque Tua graça nunca depende da minha fidelidade mas somente do Teu amor e misericôrdia. Tu és fiel!!

Romanos 8:10

“Mas se Cristo está em vocês, o corpo está morto por causa do pecado, mas o espírito está vivo por causa da justiça.”

Pai, os princípios de MORTE e de VIDA explicam a luta que agora é minha companheira nesta terra. Sei que não foi Teu plano original que este corpo pertencesse à morte, mas a entrada do pecado na experiência humana colocou nossos corpos numa situação antes desconhecida: a mortalidade. Mas graças ao Teu plano perfeito de redenção, uma nova e eterna oportunidade surgiu: a ressurreição. Agora, atravez do Teu Espírito em mim, o meu espírito humano foi vivificado e eu me tornei co-participante da natureza divina. E um dia eu, no meu corpo ressurreto, celebrará Tuas perfeiçãos eternamente ao lado do meu Salvador! A Tua justiça já se tornou minha justiça porque Teu Filho se ofereceu para morrer a minha morte: a morte que eu mereci por causa da minha injustiça. Que grande amor! Que graça sem fim! Que misericôrdia para um pecador que nasceu Teu inimigo e vivia na desgraça da prática do pecado. Que mistério incompreensível que Teu Filho escolheu justamente este corpo mortal para fazer a habitação dEle! Pai, apresento a Ti o meu corpo, este vaso de barro, para Tua Glória. Viva Tua vida em mim, para que todos reconheçam que a excelência do poder seja de Ti!

Romanos 8:11

“E, se o Espírito daquele que ressuscitou Jesus dentre os mortos habita em vocês, aquele que ressuscitou a Cristo dentre os mortos também dará vida a seus corpos mortais, por meio do seu Espírito, que habita em vocês.”

Pai, Te agradeço por Teu Espírito em mim. É um mistério compreender como o Espírito de uma Pessoa pode habitar no corpo de outra pessoa. Mas isso explica outras complexidades da Nova Vida….Cristo em mim, a esperança da glória….Eu nEle, para produzir muito fruto. É mais uma maneira que o casamento é um retrato fiel da nossa união. Meus pés se tornaram Teus; minhas mãos se tornaram Tuas; minha boca se tornou Tua. Meu coração é Teu. E a bênção desta união não e só nesta vida. É uma esperança eterna, porque a ressurreção do corpo de Cristo é uma promessa da ressurreição do meu corpo. NAQUELE GRANDE DIA, estes membros mortais que Te servem imperfeitamente hoje serão aperfeiçoados. E até aquele dia, o Senhor já está me aperfeiçoando, me preparando para o dia quando serei semelhante a Cristo, vendo Ele como Ele é. QUE GRANDE ESPERANÇA!!!

Romanos 8:12

“Portanto, irmãos, estamos em dívida, não para com a carne, para vivermos sujeitos a ela.”

Eu preciso de reconhecer, Pai, imediatamente, cada vez que eu estou começando a pisar em território inimigo. Quero que a VIDA que habita em mim me dê um toque bem forte…quero me sentir bastante incomodado. Eu preciso de me lembrar que “viver sujeito à carne” na realidade não é VIDA; é MORTE. Cada vez que eu reajo à injustiça com ressentimento, estou vivendo sujeito à carne. Cada vez que não perdoo, estou obedecendo a carne. Quando a traição provoca em mim o desejo de me vingar, estou entristecendo a Jesus, que morreu a minha morte para me livrar dos laços da morte. Nestes momentos incoerentes da minha vida, parece que estou em dívida para com a carne. E a prestação que estou pagando é completamente desnecessária, pois Jesus já pagou a minha dívida na cruz, para eu poder viver livre das antigas escravidões às minhas emoções egoístas. Senhor, parece tão justo eu aproveitar dos meus direitos de viver de acordo com os meus sentimentos. Mas é exatamente nisso que mais erro. Neste momento entrego meus direitos a Ti. Dou a Ti o direito de dirigir a minha vida. Me ajude a viver alegre e contente, focalizado em Jesus.